"Buscamos a fabricante que tivesse justificativa técnica e que pudesse nos oferecer os melhores ganhos."
- Sândor Evaristo Castro, Subsecretário de Desenvolvimento de Sistemas do TJDF

O TJDFT avança na missão de proporcionar atendimento de qualidade à população
O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) recebe cerca de meio milhão de casos novos a cada ano e oferece à população mais de uma dezena de serviços, entre eles a emissão de certidões, cujo número chega próximo a dois milhões por ano. Até 2014, entretanto, uma estrutura de dados descentralizada e componentes ultrapassados vinham criando obstáculos para que o TJDFT pudesse proporcionar alta eficiência no atendimento prestado. Um reflexo dessa situação foi um atraso de quatro meses na entrega das metas mensais ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), instituição pública voltada ao aperfeiçoamento do sistema judiciário brasileiro. O órgão criou métricas de desempenho para os tribunais regionais do país, que indicam e comparam a celeridade e a taxa de conclusão dos processos – um trabalho bem-vindo que pode contribuir para a redução da morosidade do judiciário nacional e colocá-lo em par com a agilidade cada vez mais necessária a todas as instâncias da sociedade.

A necessidade da integração de dados
O atraso na entrega das metas ao CNJ era decorrente, entre outros motivos, de um ambiente de dados não centralizado, formado por cinco diferentes bancos de dados: MS SQL Server, PostgresSQL, Access, Oracle – nova plataforma adquirida – e uma obsoleta estrutura do banco de dados Caché. Os dados setoriais encontravam-se descentralizados e, para acessar as informações de acórdãos do Tribunal, por exemplo, era usada uma pasta de dados Access.

Com um volume tão expressivo de demandas, o TJDFT não poderia manter essa estrutura descordenada e precisava urgentemente integrar seus dados para criar eficiências, facilitar a prestação de serviços e atuar com celeridade, credibilidade e transparência nas ações judiciais sob sua responsabilidade.

Uma solução para atingir metas e impor velocidade
A necessidade do TJDFT era clara: havia o imperativo de organizar dados, facilitar o acesso a documentos de forma segura e preparar o Tribunal para ampliar sua produção com qualidade. A solução foi implantar o Informatica PowerCenter, que permitiu a integração de todos os bancos de dados existentes.

Com a integração, as metas mensais do TJDFT passaram a ser encaminhadas em dia ao CNJ.
O ganho de velocidade foi notório: a equipe do Tribunal está hoje em condições de disponibilizar para as áreas de negócios uma prévia diária dos dados das metas, que no final do mês são consolidados e possibilitam aos usuários uma atuação proativa na correção de eventuais erros.

Com isso, o TJDFT alcançou, em setembro de 2015 – meses depois da implementação da solução da Informatica –, a posição de segundo tribunal melhor colocado no país, na sua categoria, em produtividade. Além disso, de acordo com o índice do CNJ, o Tribunal vem se destacando por estar obtendo números superiores à média de julgamentos da justiça estadual e por exibir atualmente, entre os tribunais estaduais, uma das menores taxas de congestionamento de processos – indicador que compara o que não foi baixado (arquivado) com o que tramitou durante o ano base. O PowerCenter também está auxiliando na consolidação de estatísticas do Processo Judicial Eletrônico, sistema que se tornará, no futuro, a única porta para protocolo de processos judiciais naquela Corte. A solução da Informatica atua na análise da integração dos novos conteúdos com o legado, como, por exemplo, o processamento de qualidade de dados realizado na base de dados do Sistema Judiciário de 1ª Instância, para possibilitar a disponibilização de relatórios consistentes e confiáveis.

Top