Sobre o Banco Central do Brasil
O Banco Central do Brasil é o órgão público responsável pela elaboração e implementação das políticas monetária e creditícia no País, com o objetivo de assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda, normalizar e fiscalizar o sistema financeiro, de modo a mantê-lo sólido e eficiente.

Desafio
Obter informações precisas em três pilares do Sistema de Monitoramento de Mercado (SMM): risco de mercado, risco de liquidez e análise de operações, para fiscalizar diariamente as operações de 5.000 instituições financeiras em todo o Brasil.

O SMM é um dos pilares de apoio para manutenção da estabilidade do Sistema Financeiro Nacional (SFN), possuindo funcionalidades de monitoramento – por meio de gráficos, tabelas e relatórios – das instituições financeiras, bem como das operações realizadas no mercado de títulos públicos federais. 

O departamento de análise dos resultados do SMM necessitava de uma solução sofisticada e com grande interação entre o sistema e o operador, para consultas do tipo “análise – solicitação – resposta – nova análise – nova solicitação”.

Soluções
O PowerCenter foi a solução da Informatica Corporation escolhida pelo Banco Central. Na fase de planejamento do projeto, a área de TI identificou 23 processos de negócios a serem implementados com a utilização da solução PowerCenter, para que, na área de supervisão, os especialistas de risco e liquidez pudessem realizar o monitoramento do Sistema Financeiro Nacional. O Banco Central, depois de analisar e definir os requisitos de negócios, solicitou a todas as câmaras de custódia o envio dos dados necessários para implementação do projeto.

“A solução viabilizou o projeto de recebimento, transformação e disponibilização dos dados para consultas e análises. Ou seja, permitiu o recebimento e o processamento de dados por meio das regras de negócios estabelecidas pelo BACEN. A solução suportou o alto volume de dados com ótimo desempenho”, afirma Francisco Abreu, gerente de Sistemas do Sistema de Monitoramento de Mercado do Departamento de Tecnologia da Informação do Banco Central do Brasil.

Por meio do PowerCenter, é possível documentar e integrar todos os dados analisados pelo SMM, desde operações pouco comuns até a avaliação da “saúde” das instituições financeiras.

O PowerCenter permite que a integração de dados ocorra em tempo real (on-line) ou sob demanda (on-demand), por meio de uma arquitetura orientada ao fornecimento de serviços (SOA ou Service Oriented Architecture), com total flexibilidade e escalabilidade necessárias ao atendimento das diversas demandas de integração de dados de um ambiente corporativo.

Trata-se de uma plataforma única que engloba funções de segurança e auditoria, possibilitando o acesso e a distribuição das informações necessárias para a melhoria da qualidade nos processos operacionais e a tomada de decisão da corporação e de seus departamentos. Além disso, permite o fornecimento de informações para outras instituições financeiras via Web. 

A solução da Informatica Corporation disponibiliza, atualmente, 550 MPPs (Gerenciamento de Projetos e Processos) para análise de dados, por meio dos quais é possível cobrir 150 fluxos de negócios (Worklet’s). “Por meio do PowerCenter, é possível documentar e integrar todos os dados analisados pelo SMM”, explica Francisco Abreu.

Resultados
Cliente da Informatica Corporation desde 2002, o Banco Central iniciou o uso do PowerCenter para o projeto do Sistema de Monitoramento de Mercado do Banco Central, em 2006. O produto contribuiu para levar informações concretas para avaliação do Risco de Liquidez e de Mercado de uma dada instituição financeira e, conseqüentemente, avaliar o sistema financeiro nacional.

Segundo Francisco Abreu, “é muito importante ter uma visão do compromisso existente entre as instituições e também de sua saúde financeira, e hoje isso é possível por meio de uma base de dados completa e consistente, que coloca o Banco Central em outro patamar e possibilita a visão de novos horizontes anteriormente não vislumbrados”.

Outros benefícios proporcionados pela solução foram:
1. Maior segurança do sistema financeiro nacional e avaliação da liquidez de cada instituição.
2. Mais rapidez e eficácia nos processos do Departamento de Fiscalização Bancária, que necessita atualmente de menos auditores para analisar informações do sistema financeiro e operações fora do padrão, pois a solução já aponta estes indícios.
3. Criação de um novo procedimento de fiscalização a partir do SMM.
4. Recebimento e transformação de dados de cerca de dois milhões de transações diárias ocorridas no sistema financeiro.

Top